Saiba como analisar a planta de um imóvel antes de comprá-lo

25 de agosto de 2021

Saiba como analisar a planta de um imóvel antes de comprá-lo

Comprar um apartamento na planta apresenta grandes vantagens para o futuro proprietário, mas para que elas sejam garantidas é importante saber analisar muito bem a planta do imóvel e definir se ele cumprirá as expectativas do futuro morador.

Procurar um novo lugar para morar é empolgante, mas também exige muito cuidado para fazer um bom negócio que não gere arrependimento futuro. Uma opção que tem se mostrado como ótima alternativa para aqueles sem pressa na mudança e com possibilidade de maior planejamento é realizar a compra do imóvel ainda na planta, já que ele pode valorizar de 20% a 50% depois de pronto. Entretanto, ao fazer essa escolha é necessário um cuidado ainda maior com toda a execução do projeto, afinal comprar um apartamento na planta é comprar uma promessa.

Uma das formas de garantir que seu imóvel suprirá as expectativas geradas na hora da compra é saber interpretar bem sua planta, afinal ela proporciona uma visualização geral e realista de todos os componentes do novo lar. Se atentar bem aos detalhes irá fazer toda diferença na hora de escolher seu imóvel dos sonhos.

 

O que é a planta de um imóvel?

A planta é uma representação do espaço em projeção horizontal, ou seja, é como se fosse um desenho esquemático do imóvel visto de cima, sem o teto. Nela é possível identificar os cômodos, portas, janelas e o formato e tamanho de cada área, bem como a disposição dos ambientes internos e externos.

Atualmente além da planta baixa existe também a humanizada, que facilita sua leitura. A planta baixa trata-se da convencional, tradicionalmente desenhada pelos profissionais especializados da área, com todas as informações técnicas e esquemáticas do espaço. Já a planta humanizada é uma versão feita para o cliente que, além dos elementos da planta baixa, incorpora cor, luz, efeitos e textura. Ela traz informações mais palpáveis da aparência final do imóvel, como mobília, tipo de piso e peças de decoração, possibilitando uma visualização mais próxima possível do resultado final planejado.

 

Medidas e representação em escala reduzida e proporcional

Para que toda essa representação possa ser feita em um papel o tamanho da propriedade é reduzido em uma escala proporcional. Geralmente se utiliza as escalas de 1:50 ou 1:100, em centímetros, em que a representação será 50 ou 100 vezes menor que o tamanho original, respectivamente. Dessa forma, um cômodo de 4×6 metros, por exemplo, em uma escala de 1:50 seria representado com 8×12 centímetros e em uma escala de 1:100 com 4×6 centímetros.

Importante também salientar que por convenção a altura das plantas sempre é definida a 1,5 metros. Dessa forma se possibilita ver as janelas e contribui para uma padronização dos documentos.

 

Aproveitamento do espaço e tamanho dos cômodos

A composição do imóvel deve ser adequada às expectativas e ao estilo de vida de quem irá ocupá-lo, portanto é essencial atentar-se à disposição dos cômodos e divisão do espaço total entre eles, atendendo dessa forma as demandas do proprietário e garantindo um bom aproveitamento dos ambientes.

A proporção entre os cômodos também deve ser observada de acordo com as expectativas do futuro morador. Definir prioridades no ambiente proporciona uma divisão melhor e mais efetiva do espaço, portanto é importante ter em mente quais ambientes precisam ser maiores ou menores e, assim, alinhar estilo de vida e composição da moradia.

 

Projeto hidráulico e elétrico

Para além apenas da composição dos cômodos em si é essencial também observar o projeto hidráulico e elétrico do imóvel. Geralmente as plantas, principalmente na versão humanizada, trazem espaços determinados para elementos como vaso sanitário, pia, geladeira, fogão e diversos outros, mas para que esses equipamentos possam ser usados nessas localidades é necessário saber se há fiação elétrica ou encanamento adequado.

Para obter mais informações a respeito, dado que os projetos elétrico e hidráulico não são necessariamente descritos na planta baixa, uma opção seria pedir ao profissional responsável as plantas específicas de cada assunto e, dessa forma, sanar qualquer possível dúvida.

 

Dê atenção às janelas

A disposição e tamanho das janelas fazem muita diferença no resultado final do projeto. Geralmente representadas como uma interrupção nas paredes externas, as janelas são esquematizadas na planta por meio de retângulos com linhas dentro, que mostram o tamanho da esquadria e a disposição das folhas de vidro.

As janelas influenciam diretamente na iluminação e ventilação do ambiente, portanto é preciso observar se as aberturas são suficientemente amplas, permitindo a entrada de luz natural e circulação de vento. Também é importante atentar-se à posição das janelas no imóvel, principalmente em relação ao posicionamento do sol durante a manhã ou tarde.

Para leigos, a princípio ler uma planta baixa pode parecer algo muito complexo, mas ao atentar-se aos pontos cruciais decifrá-la passa a ser uma tarefa mais simples. Investir em um apartamento na planta é uma excelente opção quando pode-se contar com uma empresa de confiança como a Dubai. Uma empresa fundamentada na ética, transparência e respeito, que sempre busca proporcionar aos seus clientes uma ótima experiência, carregando alto padrão de qualidade e 100% de obras entregues no prazo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Estamos em Várias Localizações

A Dubai está em todo lugar, veja as principais localizações

Osasco | Alphaville | Barueri | São Paulo

Atendimento por Whatsapp